quarta-feira, 9 de setembro de 2009

A viagem do amor

Espero não transportar todas as minhas mágoas
neste comboio, nesta viagem em direcção a ti,
espero te levar apenas um sorriso, talvez uma esperança,
que sei que precisas mais que eu
e nem precisei de falar contigo para o saber,
escondo este amor mudo, que sofre em silêncio,
e dar-te-ei sem que o percebas, se eu o conseguir,
porque as estradas do amor são sinuosas e teimosas
e nunca se sabe o caminho que se vai percorrer...

Levo a alma cheia de sonhos, que condeno,
talvez a pequena esperança que me dês,
seja apenas qualquer coisa sem importância, amizade,
e não aquela que eu queria e que eu sonho, mas não te condeno,
porque o amor que sinto fala mais alto, sem to dizer,
porque se ele se revela sei que passo para o inferno,
transporto uma flor no meu coração, metáfora ou não,
à muito tempo que o sinto e que te escondo,
ao mesmo tempo que uma força que me invade de esperança,
os medos cobardes, que não deixam a lucidez fluir,
medos prematuros mas maduros,
que já sabem o desfecho que o espera ...

Este sonho que parece um céu vertiginoso,
sonho que não consigo controlar,
a esperança de te amar voa mais alto
e as perguntas que faço não têm resposta
pois estes pensamentos, invadiram-me de esperança, num dança,
de fantasias e sonhos, que me iludem, de amor por ti,
ilusões afiadas que me alimentam cada vez mais,
[este amor ou esta dor,
provocando a sensação de queda, maior que o céu que eu vejo...

O medo da desilusão do amor,
agora é uma certeza que tenho que enfrentar,
tens medo de me tocar,
[isso para mim é uma tempestade no meu íntimo,
minha intimidade, verdades que eu já não soubesse,
mas invadem os meus céus como nuvens negras,
[tempestades antigas e cruéis,
que regressam com o vento com um sabor amargo e sombrio,
passo a noite a chorar por ti, não sei se por ti ou por mim,
talvez seja um pouco egoísta nesta altura, confesso,
mato o tempo da noite a sonhar
[pela oportunidade de um dia viajar e amar-te...

Francisco Júnior

1 comentário:

Rita disse...

Sabe bem acompanhar os poemas ao sabor da musica do Bonna! Boa primão!!
Beij Rita