quarta-feira, 25 de novembro de 2009

" Labirinto que me embrulhas "

Labirinto que embrulhas-me na tua teia
na teia em que eu me escondo,
no silêncio dos teus braços,
por te ver partir, a sair do meu jardim,
sem conseguir dizer as palavras certas no momento mais indicado,
nada flui, paralisei, bloqueei e fechei-me no silêncio,
com o meu coração partido de tristeza, despedaçado,
cai folhas e já não as consigo repor
nesta agonia falo contigo como se lá estivesses presente
para mim nunca partiste, nunca te foste, sofro e
idealizo a tua presença para me ajudar a sair deste labirinto,
e não precisas de falar porque só o silêncio já é nosso amigo,
e através da tua luz encontro sempre o caminho certo!

Pergunto se é justo
te perder de vista
e ficar entregue à infestação de cactos e flores selvagens,
agrestes e sem sentimento que invadem como malmequeres,
este meu jardim, infinito, que se tornou uma tempestade diária,
tu és o que mais preservo na terra que me alimenta, as proteínas,
para não me deixar morrer,
rego todos os dias para não te perder do horizonte, crescer,
pois os amigos são como flores, tão frágeis, tão sensíveis, tão resistentes,
que temos de cuidar e preservar, sempre,
dar-lhe água todos os dias para não murcharem,
eles ouvem e sentem o nosso coração
reclamam e adoecem,
sempre que nos tratam mal,
como uma raiz que mata as ervas de aninhas à sua volta,
aquelas as más, as invasoras, que não matam mas moem,
mas tu limpas a terra dos males,
pergunto se é justo
tirarem-te do meu jardim...

Grito por ti
sempre que me sinto só
converso contigo mesmo sem me ouvires, no silêncio,
como uma árvore sábia
que me aconchega como uma mãe e tranquiliza
Gritarei por ti
sempre que me sentir encurralado neste labirinto
de hipócritas e pessoas falsas como o JUDAS
Gritarei por ti
para me ajudares
porque és a água que me traz vida para eu sobreviver
por isso grito bem alto por ti
pela flor mais bonita do meu jardim
que me foi roubada,
é certo que levada para o paraíso,
e só por isso não me importo e te invejo,
desejo sorte à minha flor que me faz sentir
um misto de sentimentos, a perda, a saudade,
mas contente por estares feliz nesse teu novo jardim
Grito por ti, Gritarei por ti,
para que as tuas raízes venham buscar água à minha beira
à minha fonte, essa não está contaminada
e sabes que te a dou com prazer
ora bebes tu ora bebo eu, uma comemoração à amizade,
assim atravesso mares, jardins e montanhas
só para te encontrar e grito por ti para ficares mais um pouco
sinto a tua falta como se fosses o meu oxigénio,
gritarei por ti minha flor de lis
sempre que quiser sair, deste labirinto de famintos,
matarei a sede na tua água, que me mantém vivo
e sairei com vida, eu acredito, porque sinto,
antes que me sequem a água da raíz até ao fim...

Francisco Júnior – 25 de Novembro de 2009

 "Um brinde à tua amizade... num labirinto de encontros e desencontros sempre me surpreendes-te pela positiva e também por isso te preservo no meu coração cheio de amor e amizade... Muitos beijinhos para ti! - Tu sabes quem és?"

4 comentários:

SONHADORA disse...

SIMPLESMENTE AMEI....
VI-ME E REVI-ME NESSE LABIRINTO...

BEIJO

Lorena Lima disse...

Muito bom seu blog, estou seguindo-o!
Caso goste do meu também, fique a vontade pra seguí-lo também.

http://loreniitaahh.blogspot.com/

Um abração carioca,

LL

jorge vicente disse...

somos nós todos :)

grande abraço
jorge vicente

Daniel Dragomirescu disse...

An excellent poem. Congratulations.
Daniel D. Peaceman, writer and editor